quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Quem tramou o Sousa ?

Se a conjuntura já não era muito favorável a Sócrates, uma pitada de freeport deixou a caldeirada quase pronta a servir aos confrades de Ferreira Leite.
O processo começou entre 2002-2005 e ainda a procissão vai no adro, portanto isto não se vai resolver em meses e é uma situação insustentável para um 1º ministro em funções.
Está criado um pântano politico que coloca o Sousa entre entre a espada e a parede:
-Por um lado, escolheu o caminho de quem não deve não teme,
-Por outro está fragilizado e vai piorar, sendo isto mais um peso num barco que estava a afundar.
Não tenho duvidas que se estava a preparar eleições antecipadas, mas isto descontrolou-se e este motivo não lhe convém: simplesmente um 1º ministro envolvido num escândalo não se pode demitir e aparecer candidato.
A Ferreira Leite convém que isto dure mais umas semanas para o PS cair mais nas sondagens, e carregar às costas a maior parte da crise. Professores, enfermeiros, médicos, desempregados, militares e outros da procissão, vão-lhe morder os calcanhares todo o tempo.
Há ainda a questão doutrinária da saída da crise que para já corre mal. O governo, ao contrário de Obama, em vez de injectar dinheiro nas famílias e nas PMEs directamente, escolheu os monopoleos e os bancos que se descobre agora estarem atolados em corrupção e insolventes. O dinheiro canalizado via bancos chega aos cidadãos e empresas carregado de spreads, taxas, comissões, e é quando chega.
Resta esperar que o governo se atole no próprio lodo, para depois apanhar os cacos e fazer isto andar para a frente, de preferência sem corja.