segunda-feira, 23 de março de 2009

A contratação da época

O mais grave foi o apitadeiro e o fiscal das tábuas, terem afirmado que o penalti foi marcado com base numa intuição, numa percepção, numa impressão...
Um jogo de milhões arbitrado por tostões.

2 comentários:

Claro Escuro disse...

olha METE ROLHAS, pouco me importa se vais publicar isto ou não

onde estavas quando nos roubaram o campeonato no dragao

po caralho cego!!!!

O Zé disse...

Caro amigo, pouco me interessam as suas dores. Sendo lagarto com simpatias pelo dragão, a mim não me doi nada. Não me pagam para isso. Posso dizer-lhe que vi 10 minutos, mas o futebol era tão mau que mudei para um documentário. Quanto à foto, parabens ao autor, está com muita graça. Para os arbiteiros do país: não se pode andar a arbitrar com base em impressões: isso é o que está em causa.
Quanto ao seu vernáculo é-me indiferente, que o dito cujo lhe adoce a boca. Experimente acabar comentário com um - boa tarde - será mais convincente.