sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

As dividas têm de ser pagas.

Diz J.L.Saldanha: "a recordar que as dívidas têm que ser pagas e o consumo de bens e serviços do exterior tem que ser reduzido."
" a cura vai ser mais lenta, mas o endividamento não pode prosseguir."
"Se há coisa que não nos fazia falta é o nosso primeiro-ministro a braços com o Freeport. Em vez da satisfação perversa que costuma acompanhar estes casos o que vemos desta vez é um sentimento geral de depressão pela inoportunidade desta distracção." integral aqui

Este diagnóstico é um paradigma actual, mas o governo enterra a cabeça na areia e continua a levar-nos para o abismo. Insiste no monstruoso endividamento do país em obras públicas de utilidade duvidosa (tgv, autoestrada Trás-os-Montes) saneamento de bancos de investimento especulativos e depredadores da economia real (diga-se que estes bancos desviaram dinheiro da economia produtiva para a especulação, muitos empresários deixaram falir empresas, o BPP representa 0,8% do sistema não tem peso).
Gorada a estratégia de marketing armani, em fóruns e comícios de projecção nacional, onde a mentira teve perna curta, Sócrates refugiou-se pela província, no conto do vigário, eleitoralista, aos esfaimados que só desejam uma miragem, uma ilusão. Promete-lhes subsidio, cursos para o desemprego, remendos, caminhos curtos sem saída, apregoados no verbo de uma mentira compulsiva.
O 1º ministro deveria era criar gabinetes para orientar PMEs: gestão, internacionalização, inovação de produto com as universidades (mas isto deveria ter acontecido há 3 anos, mas como já escrevi só as empresas do psi20 dão bons taxos a politiqueiros desempregados). Isto é que cria emprego, aqui MFLeite tem razão. Mas não, o governo insiste nos elefantes brancos, nos PINs aos monopólios que não criam o grosso do emprego.

3 comentários:

quink644 disse...

Ele cria gabinetes é para se encher a ele e á família...

Anónimo disse...

És funcionário público, estás bem. És prof e a Ministra pôs ordem na gagunça das escolas, ode os professores só trabalhavam 10 horas por semana. Não gostas do Sócrates mas nós que trabalhos no privado gostamos!
Deviam congelar os salários dos funcionários públicos por 5 anos!

O Zé disse...

Caro anónimo, tenho muito gosto na sua participação. Fique a saber que só juizes e militares têm vinculo ao estado, todos os outros, com alterações legislativas recentes,podem ser despedidos, com métodos mais ou menos encapotados, a menos que tenham cartão do PS.Quanto às 10h, é demagogia, não merece comentário, mas, posso-lhe dizer que hoje foram 12h, entrei às 8:30h, terminei às 17:00h, corrigi umas fichas e terminei com uma reunião de notas semestrais, tendo chegado a casa às 21H, enregelado, pois a escola é do Norte e não tem aquecimento.Quanto a gostos, prefiro a Débora; por outro lado não acho que o senhor seja trabalhador de qualquer empresa privada ou pública, pois este governo é extremamente penalizador para o trabalho, a menos que tenha um bom emprego no capital, ou seja um boy. Quanto a salários, desde 2002 que não tenho qualquer promoção, além de perdas de poder de compra, ou seja, aumentos sempre abaixo da inflação. Portanto o senhor é xuxalista ou ignorante. Sabe, a ignorância está a matar este país desde a ditadura.