sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

SACRIFICAR A ESCOLA PELO ELEITORALISMO



"Uma vez iniciada neste ano lectivo uma avaliação séria dos professores estarei "totalmente aberta" a que se discutam todas as alterações, todas as melhorias a este modelo, ou mesmo à sua substituição" MLR

Sabendo a ministra que este modelo nunca será aplicado, significa que está disposta a sacrificar os recursos humanos da escola, em detrimento da qualidade de ensino, por motivos eleitoralistas.

2 comentários:

MFerrer disse...

Isto é eleitoralismo?
Convém saber do que se fala:
ÚLTIMA HORA

Com os olhos esbugalhados pelo seu próprio desespero, Mário Nogueira veio aos gulosos tele-jornais dar conta de um baixar da guarda por parte do MEducação.

Veio contar que tinha desmarcado as greves regionais visto que o ME teria entregue os pontos e aceitado colocar sobre a mesa de negociações tudo e mais alguma cloisa.

Mário Nogueira foi longe demais e declarou expressamente que o Ministério teria mesmo aceite discutir com a Plataforma, o Estatuto da Carreira Docente a par de, pelos vistos, poder até suspender a Avaliação dos professores.

Nada mais falso!

Estou em condições de avançar que o ME acaba de fazer sair um comunicado esclarecedor.


COMUNICADO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
21:00h, 5 de Dezembro de 2008

1 – Chegou hoje ao fim o processo de negociação das medidas tomadas pelo Governo no dia 20 de Novembro para facilitar a avaliação do desempenho dos professores.
2 – Os sindicatos, neste processo, não apresentaram qualquer alternativa ou pedido de negociação suplementar, pelo que o ME dá por concluídas as negociações, prosseguindo a aprovação dos respectivos instrumentos legais.
3 – O ME, mantendo a abertura de sempre, respondeu positivamente à vontade dos sindicatos, expressa publicamente, de realização de uma reunião sem pré-condições, isto é, sem exigência de suspensão da avaliação até aqui colocada pelos sindicatos. Foi por isso agendada uma reunião para o dia 15 de Dezembro, com agenda aberta.
4 – Os sindicatos foram informados que o ME não suspenderá a avaliação de desempenho que prossegue em todas as escolas nos termos em que tem vindo a ser desenvolvida.

A falta de vergonha e o oportunismo não têm limites!
Mas em que mãos se foram meter estes professores...

O Zé disse...

O meu ponte de vista é este: a avaliação está parada, é uma evidência, o modelo tal como previsto, nunca será aplicado, insistir nele será um desperdicio de energia das escolas em detrimento da qualidade de ensino. O ME sabe isto, mas por motivos eleitorais e para não perder a face que a arrogância criou, acha que não pode substituir o modelo, são traços do caracter do sr 1º Ministro. O SE Pedreira apesar das declarações públicas da ministra continua a negar. Em que ficamos?

Obrigado pela participação